IT Forum 365
IoT

5 coisas que o CIO precisa saber antes de adotar IoT

Criar uma estratégia com planos e metas de médio e longo prazos, e revisar a infraestrutura são duas delas; 70% das corporações já têm algum projeto de Internet das Coisas em andamento

Análise de informações para a tomada de decisões mais seguras e certeiras, aprimoramento das operações, otimização da força de trabalho e aumento da produtividade. Esses são alguns dos benefícios trazidos pela IoT, tecnologia cada vez mais presente nas empresas. De acordo com a IDC, 70% das corporações já têm algum projeto do tipo em andamento e, este ano, mais de US$ 8 bilhões serão investidos na área apenas no Brasil.

Baixe o ebook O que é imprescindível saber sobre IOT, a Internet das Coisas e entenda mais sobre IoT

Mas, antes de adotá-la, é preciso se atentar a cinco pilares:

1. Criar uma estratégia é o primeiro passo

Adotar um projeto de IoT requer planejamento e mudanças significativas em toda a empresa. Por isso, é preciso mobilizar as equipes de tecnologia para construir uma estratégia eficaz – com planos e metas de médio e longo prazos. Assim, os dados gerados pelos sensores serão aproveitados da maneira correta, fornecendo insights para tomada de decisão. Além disso, os projetos devem utilizar analytics e é fundamental que o material seja armazenado em bancos com grande capacidade, segurança e rapidez no processamento. Para isso, a empresa deve integrar as plataformas de IoT, nuvem e aplicativos móveis, assim como as aplicações de CRM.

2. Cuidados com segurança precisam ser redobrados

Por ser uma tecnologia nova e que conecta diversos dispositivos em uma única rede, a proteção de dados ainda não é 100% garantida. “Hoje, nada impede um hacker de entrar no sistema de um dispositivo, passar para outro e, finalmente, chegar ao financeiro da empresa – já que tudo está conectado”, explica Cezar Taurion, sócio e head de transformação digital da Kick Ventures. Por isso, o CIO deve pensar em uma estratégia que tenha como prioridade a segurança de todos os dispositivos, sensores, redes e aplicativos.

3. Infraestrutura deve ser aprimorada

As equipes de TI precisam se preparar para uma nova forma de lidar com as informações, gerenciando todo o ambiente como um sistema homogêneo, em que os dados fluem da maneira mais eficiente possível. Com a IoT, chegam mais dados do que saem. Por isso, o data center precisa suportar essa grande quantidade de tráfego. Se a empresa operar no modelo de cloud, por exemplo, precisa ter espaço suficiente para a coleta das informações, processamento, armazenamento, análise e interface das pessoas com os objetos.

4. Capacitação da equipe é fundamental

Com a adoção da IoT, o CIO passa a ter um importante papel: assumir a liderança do projeto e recrutar funcionários especializados – como desenvolvedores de software e profissionais de segurança da informação – e com papéis bem definidos. Além disso, precisa preparar, com ajuda de treinamentos e cursos, toda a empresa para lidar com a nova tecnologia.  

5. IoT pode ser usada em diversos projetos

A Internet das Coisas pode ser utilizada em setores como pecuária, para monitorar o gado; saúde, para controlar a temperatura ideal do armazenamento de medicamentos; e em cidades inteligentes, detectando vazamentos de água na rua ou controlando a luminosidade de postes.

Em Dubai, por exemplo, a  polícia capturou, em um período de 18 meses, 2.739 pessoas localmente e internacionalmente – graças a um scanner implantado em 2009 no topo de todos os carros policiais. O sensor era capaz de “ler” placas de veículos e detectar, rapidamente, aqueles cujos donos são procurados – desde infrações de trânsito até atividades criminosas.

Saiba mais:
IoT: os pilares de um projeto bem-sucedido
Adoção de cloud será maciça até 2020; veja como elaborar uma estratégia efetiva
4 pontos cruciais para escolher a melhor plataforma de IoT

Imagem: shutterstock

Comentários

Notícias Relacionadas

IT Mídia S.A.

Copyright 2016 IT Mídia S.A. Todos os direitos reservados.